Quinta, 16 Novembro 2017 15:32

Primeiro-ministro deslocou-se a Vouzela
Destaque

O Primeiro-ministro, António Costa, deslocou-se, no dia 14 de novembro, ao início da tarde, ao concelho de Vouzela para visitar duas casas destruídas pelos incêndios de outubro e que estão já em fase de reconstrução. Acompanhado pelo Presidente da Câmara, Rui Ladeira, o governante visitou primeiro uma habitação na Seixa, na freguesia de Campia, uma reconstrução total, deslocando-se depois a Adsamo, na freguesia de Ventosa, para ver as obras de reabilitação parcial da segunda habitação ardida. Com um custo estimado de 150 mil euros, acrescidos de iva, ambas as casas de primeira habitação estão a ser acompanhadas pela autarquia. "Face à calamidade que vivemos há um mês, em que arderam mais de 60 casas de primeira habitação, mais de 100 segundas habitações, a destruição de várias pequenas empresas muito relevantes para a nossa economia, danos na agricultura e na pecuária, é importantes darmos este sinal de que estamos, aos poucos, a tentar reconstruir o que o incêndio nos levou", referiu Rui Ladeira.

"Estamos num momento sensível e marcante de Vouzela e do país, sobretudo do país do interior, onde há urgência de atender às necessidades das populações, com medidas concretas, das empresas, dos agricultores, de recuperar o território agro-silvo-pecuário e a salvaguarda do património histórico e cultural", acrescentou o autarca, que disse ainda confiar na "eficácia, competência e celeridade" do governo português.

A visita do Primeiro-ministro a Vouzela ficou também marcada pela assinatura, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, de protocolos com a banca para o apoio à tesouraria das empresas afetadas pelos incêndios, numa linha de crédito de 100 milhões de euros.

O chefe do Governo assegurou que o Orçamento do Estado de 2018 vai ter um reforço de verbas para acomodar as populações e empresas afetadas pelos incêndios e detalhou que vão estar previstos 670 milhões de euros, destinados à reconstrução territorial, à reforma florestal e à reorganização dos sistemas de prevenção e combate aos fogos.

A cerimónia contou com a presença do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, do Ministro da Economia, da Secretária de Estado da Indústria, do Secretário de Estado do Comércio, do Presidente da Caixa Geral de Depósitos e da restante elite da banca portuguesa.

voltar ao topo